Preço do tomate anima irrigantes de Lagarto

Quem escolheu plantar tomate no Perímetro Irrigado Piauí, para colher neste início de ano, pôde se deparar com o mercado bastante favorável, com a caixa de 30 kg sendo vendida pelos irrigantes inicialmente por R$ 80 e no final safra chegando a R$ 100. Bastante exigente por água, o tomateiro depende de irrigação para se desenvolver comercialmente.

Esse aumento na renda obtida pelo produtor de tomate se dá no preço final, que de Norte a Sul do país se elevou. Em Aracaju, já em dezembro, a pesquisa da cesta básica do DIEESE anunciava R$ 3,09 o quilo, e de lá para cá só aumentou. Só no perímetro da Companhia de Desenvolvimento de Recursos hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro) em Lagarto, foram cultivados 32 ha de tomate em 2017, gerando a produção de 1.790 toneladas.

No perímetro Piauí o tomate tem sido plantado na maneira mais convencional, suspenso chão por estaqueamento e amarração, ou então usando a tecnologia das lonas ‘mulching’ com a fertirrigação. Em tais sistemas combinados, um separa a planta do solo evitando a incidência de moléstias e fungos, no outro somente a raiz da planta recebe água – o que também evita a incidência doenças fúngicas e bacterianas – já com a dosagem certa de nutrientes. Combinados, métodos melhoram produtividade e diminuem custo com tratos culturais e mão de obra.

O agricultor irrigante do perímetro Piauí Gildeon Dias dos Reis, plantou na segunda quinzena de outubro, 0,6 hectares de tomate usando o ‘mulching’ e fertirrigação em seu lote. Nos primeiros dias de 2018, a produtividade superou as 450 caixas, já que a renda obtida com o pequeno lote lhe rendeu, bruto, R$ 25.000.

 

Última atualização: 1 de fevereiro de 2018 19:18.