Integração aprova trabalho e recebe solicitações da Cohidro

Novo poço do povoado Encruzilhadas

Nos dias 15 e 16 de julho, diretores da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro) estiveram no Ministério da Integração Nacional (MI), em Brasília-DF, para apresentar os resultados parciais do que o Governo do Estado vem executando no “Água para Todos”, coordenado nacionalmente pela pasta federal. O modo como a Empresa está operando na instalação de novos poços e sistemas de abastecimento, pelo Programa, foi aprovado pelo MI. Outras demandas, também entregues, foram consideradas pertinentes e incluem a recuperação de barragens públicas no Alto Sertão.

Primeiramente, o Diretor-presidente, Mardoqueu Bodano, o Diretor de Infraestrutura (Dinfra), Paulo Enrique Machado Sobral e o Gerente de Perfuração de Poços (Geperf), José Albuquerque Cunha, todos da Cohidro, foram recebidos pelo Coordenador nacional do Água para Todos no MI, Dr. Marcos Miranda, na sede do Ministério. O assunto principal era o Programa, que só em Sergipe e por meio da Empresa Sergipana, vai garantir a perfuração do poço e instalação de 107 Sistemas Simplificados de Abastecimento de água, em comunidades rurais de em todo Estado.

Mardoqueu explica que são recursos da União acrescidos também por investimentos do Estado. “O investimento federal, feito nesse empenho confiado à Cohidro, foi de R$ 13.680.000 e o Governo de Sergipe entrou com a contrapartida de R$ 720 mil. Tal liberação dependeu de um planejamento realizado por nossos técnicos, que incluiu a realização de um levantamento, uma pesquisa socioeconômica às populações dessas localidades propensas em receber o novo poço e sistema de abastecimento”, lembrou o Presidente.

O Diretor Paulo Sobral acrescentou que as 107 localidades, em 28 municípios, escolhidas a partir do um levantamento socioeconômico, tiveram origem numa lista de 144 pré-selecionados. “São pedidos realizados pelas prefeituras, associações comunitárias e outras entidades governamentais. Nosso trabalho consistiu em avaliar, in loco, a real necessidade destas comunidades, se continuam carentes de uma fonte de água ou se já foram atendidas por outros programas. Trabalho este que já foi feito e fiscalizado pelo nosso departamento de serviço social“, relatou.

Essas comunidades rurais estão localizadas em 28 municípios, de todas as regiões de Sergipe, que são: Aquidabã, Barra dos Coqueiros, Carmópolis, Cristinápolis, Divina Pastora, Estância, Frei Paulo, Ilha das Flores, Indiaroba, Itaporanga d’Ajuda, Japaratuba, Japoatã, Muribeca, Neópolis, Pacatuba, Pirambu, Poço Verde, Riachão do Dantas, Riachuelo, Salgado, Santa Luzia do Itanhy, Santana do São Francisco, Santo Amaro das Brotas, São Cristóvão, São Francisco, Siriri, Tomar do Geru e Umbaúba.

José Albuquerque está diretamente responsável pelo setor de geologia, que determina a localização onde serão feitos os poços, em cada localidade e também, seu departamento fiscaliza o trabalho de perfuração realizado por empresa terceirizada. Depois de perfurado, na sequência, outra equipe trabalha na implantação dos “Sistemas Simplificados de Abastecimento de Água”, etapa em que a Companhia está tramitando os últimos detalhes para lançar edital de contratação.

“Na reunião, apresentei o modelo de relatório técnico de perfuração, elaborado pela Cohidro e que fará parte do as built para prestação de contas com o MI. Além disso, o Dr. Marcos Miranda nos solicitou a apresentação de um mapa com a situação atual dos 107 poços, selecionados pelo Estado de Sergipe. O que foi providenciado ainda durante nossa estada em Brasília, com o auxilio da equipe da Geperf em Aracaju”, relatou Albuquerque.

Barragens públicas

Não menos importante, outra pauta levada ao MI é a solicitação de recursos federais para obras de recuperação e reforma das barragens públicas de Barra da Onça e Bate-Lata, no município de Poço Redondo. Construídas pelo Governo do Estado na década de 1980, os reservatórios, de médio para grande porte, represam água da chuva e precisam passar por limpeza dos sedimentos depositados em seu leito e recuperação das barreiras de concreto, para assim voltar a contribuir, como antes, com a dessedentação dos rebanhos.

“Fomos muito bem recebidos no Ministério, que também acolheu nossa solicitação por recursos para a realização de reformas nos dois açudes no Alto Sertão, acenando com a possibilidade de, a partir de setembro, a Cohidro enviar o projeto – já pronto – para ser inscrito no programa que o MI vai lançar, com recursos específicos para este tipo de obra pública”, completou o Presidente Mardoqueu. Juntas, as represas Bate-Lata e Barra da Onça beneficiam mais de dois mil habitantes e 1,5 mil animais, a partir da oferta de água assegurada pelas estruturas.

Última atualização: 19 de outubro de 2017 11:38.