Cohidro assina ordem de serviço para obras do Proinveste em Lagarto

Diretores

Diretores da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro) e da D&M Engenharia se reuniram nesta sexta-feira, 12, na sede da Empresa Pública em Aracaju, para assinarem mais uma ordem de serviço para realização de obras estruturais previstas pelo Proinveste. Desta vez foi dado o sinal verde para a recuperação da estrutura e dos equipamentos das duas estações de bombeamento (EBs) do Perímetro Irrigado Piauí, em Lagarto.

No contrato firmado entre as duas empresas, após a D&M concorrer à licitação, o prazo de entrega da obra é de 120 dias, a partir da data de assinatura da ordem de serviço. O valor arrematado, na tomada de preços realizada pela Secretaria de Estado de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri), foi de R$ R$ 571.067,95 para esta obra no Piauí. O Proinveste – em que o Governo de Sergipe tomou em financiamento junto à União R$ 567 milhões para obras e investimentos no Estado – destinou a Cohidro R$ 11 milhões, voltado para a recuperação dos perímetros irrigados e compra de equipamentos.

Diretor de Infraestrutura da Cohidro, Paulo Henrique Sobral explica o que será feito a partir desta intervenção promovida pela ordem de serviço à Empresa de Engenharia. “Foi contratado o serviço tanto de engenharia civil, da recuperação predial das EBs 1 e 2 do Perímetro Piauí, como também está descrito no contrato o reparo e substituição de peças, que vão ampliar a capacidade de fornecimento de água para os produtores que dependem do sistema para produzir”, afirmou.

Mardoqueu Bodano, presidente da Cohidro, reforça que esta ação propiciada pelos recursos do Proinveste, é algo inédito no Piauí. “Desde que foi inaugurado, em 1987, não foi feita uma intervenção desta magnitude no Perímetro pelo Governo do Estado. Uma reforma completa, com meios e recursos para sanar qualquer tipo de falha no sistema de bombeamento de água, para irrigação, ainda não tinha acontecido para Lagarto. Estão de parabéns os produtores irrigantes que vão ver agora o resultado de todas as reivindicações que fizeram junto a nós da diretoria”, expôs.

Para o diretor de Irrigação da Companhia, João Quintiliano da Fonseca Neto, ganha o produtor, com a melhoria no serviço oferecido e também o Estado, com mais produção de alimentos. “Em 2014, o Perímetro Piauí produziu 7.846 toneladas de alimentos, contando com o sistema de irrigação desgastado pela ação do tempo, de mais de 25 anos sem uma reforma como esta, que vai ser possível se fazer agora com o Proinveste. Com o aumento da oferta de água, obviamente que estes produtores vão poder expandir estes resultados em suas colheitas, levando mais alimento à mesa do lagartense e dos sergipanos e com isso, haverá mais geração de renda para a agricultura familiar – somente neste ano a receita com a produção foi de mais de R$ 13 milhões no Perímetro Irrigado Piauí – alem de garantir a permanência do trabalhador rural no campo”, reforça.

João
Mardoqueu
Paulo

 

 

 

 

 

Última atualização: 6 de dezembro de 2017 09:54.