Cohidro auxilia cooperativa de Salgado a participar do Alimenta Brasil

[foto: Fernando Augusto]
Em Salgado, na quarta-feira (18), a equipe da Gerência de Agronegócios da Cohidro esteve visitando a Cooperativa dos Produtores Agrícolas do Território Sul De Sergipe (Coopatsul). A reunião tinha o objetivo de passar orientações de como a entidade pode participar do Programa Alimenta Brasil (PAB), na modalidade “Compra com Doação Simultânea”, via Conab.

Nos 14 anos em que os agricultores dos perímetros irrigados do Governo de Sergipe participaram do programa, via Conab, o saldo foi de 4,2 mil toneladas de alimentos doados para alimentar, pelo período médio de um ano, 155.701 pessoas em insegurança nutricional, movimentando mais de R$ 10,6 milhões, pagos nas 1.693 participações de agricultores. Nas associações e cooperativas inseridas nesse perímetros estaduais, hoje o clima é de organização e expectativa pela liberação de recursos federais para novamente participarem do programa.

Além da irrigação e assistência técnica agrícola, os produtores nos perímetros administrados pela Cohidro, recebem a assessoria da gerência da empresa para a regularização da documentação dos grupos, formular as propostas, honrar e prestar contas das entregas de alimentos. Para, no final, o irrigante receber a devida remuneração pelo seu trabalho. O que atrai a participação do agricultor a este programa, é o valor justo pago pelos produtos e a longa periodicidade de entregas programadas.

A Coopatsul, hoje com 74 cooperados, tem um longo histórico de participação em programas como o PAB do Governo do Estado, organizado pela Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (SEIAS); o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Mesa Brasil, do SESC. Nestes; forneceu alimentos in natura e beneficiados, como polpas e sucos de frutas, bolos, pão, ‘pé de moleque’ e beiju. Na quarta, os técnicos da Cohidro, Sandro Prata e Carlos Valerio, foram recebidos pelas coordenadoras do Coopatsul, Zenaide e Josefa Sueli.

 

Governo do Estado reforça assessoria técnica para irrigantes participarem do Alimenta Brasil

Projetos de aquisição de alimentos diminuem a vulnerabilidade social e ampliam a geração de renda no campo, comprando do produtor por preços acima do mercado

[foto: arquivo pessoal]
O saldo é de 4,2 mil toneladas de alimentos doados para alimentar, pelo período médio de um ano, 155.701 pessoas em insegurança nutricional, movimentando mais de R$ 10,6 milhões, pagos nas 1.693 participações de agricultores irrigantes dos perímetros do Governo do Estado. Isso ocorreu nos 14 anos em que eles forneceram produtos ao antigo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) da Conab, na modalidade ‘Doação Simultânea’. Em 2022, estes produtores rurais atendidos pela Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro) nos perímetros, estão recebendo atenção extra da Gerência de Agronegócios da empresa para adequar e enviar novas propostas de participação ao novo programa federal Alimenta Brasil.

O gerente-técnico Sandro Prata auxilia na regularização das associações e cooperativas formadas nos perímetros irrigados da Cohidro e as assessora para formular e honrar as propostas feitas ao programa federal. Mas no Perímetro Irrigado Piauí, em Lagarto, ele agora conta com o reforço dos técnicos em agropecuária Anildo Caldas e Jackson Ribeiro, com experiência nestes projetos após passagem pelas empresas de desenvolvimentos Sustentável (Pronese) e Agropecuário (Emdagro) do Estado de Sergipe, que como a Cohidro, são vinculadas à Secretaria de Estado da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri). Na última semana, eles se reuniram com toda a assistência técnica daquele perímetro de Lagarto. Lá, duas associações já forneceram alimentos ao programa federal e uma terceira associação está sendo formada para atender outra parcela dos 421 agricultores com lotes atendidos com irrigação pública.

“O objetivo da reunião foi esclarecer que o sistema CAF (Cadastro Nacional da Agricultura Familiar) ainda está em período de testes e que as DAPs (Declaração de Aptidão ao Pronaf) feitas agora, ainda serão válidas por dois anos. E já que eles estão concluindo a formalização da uma nova associação, nada melhor que ter a DAP jurídica para poder participar das propostas neste ano”, argumentou Sandro Prata. Ele destaca que em Lagarto, eles têm a mobilização extra de organizar a Associação de Produtores do Perímetro Irrigado Piauí (APPIP) para fornecer alimentos a partir de recursos ainda liberados em 2021, conforme os critérios propostos no ranqueamento das propostas em todo estado.

O presidente da Appip, Antônio Cirilo Amorim, considerou válido o reforço dado à assistência e assessoria técnicas nos projetos para os programas de aquisição de alimentos. “O homem do campo precisa trabalhar com a presença dos técnicos no dia a dia na sua roça. Então, precisa sim. Depois dessa pandemia, as coisas mudaram muito. Então, precisávamos de mais apoio dos técnicos da Cohidro na nossa lavoura. Em relação ao Alimenta Brasil, nós estamos tentando enviar uma proposta para ir para a Conab. Eu tenho certeza que a gente vai poder participar desse alimenta Brasil, o que para nós é uma grande alegria, poder fazer uma nova renovação na associação, junto com a Cohidro. Porque a gente tem esse apoio da Cohidro aqui, graças a Deus, e vamos colocar o agricultor para trabalhar novamente. Uma proposta sempre faz o agricultor se renovar”.

O diretor de Irrigação e Desenvolvimento Agrícola da Cohidro, João Fonseca, orienta que o irrigante deve procurar os seus escritórios locais, para ser assessorado a participar dos programas de aquisição de alimentos. “Seja uma entidade formal, informal ou participação individual, existem técnicos aptos para orientar a regularização da documentação, que dá credencial para a participação. A elaboração das propostas, que é onde o produtor diz o quê, quando e quanto ele pode fornecer de alimentos para a ‘doação simultânea’. Em alguns desses programas, a associação também tem que dizer para que entidade irão doar; item que exige atenção redobrada ao fazer o projeto. Sendo aceita a proposta, o produtor conta com a ajuda da Cohidro para organizar a sua produção para cumprir o cronograma de entregas, na mobilização para as entidades receberem, na prestação de contas e no recebimento do pagamento pelos produtos”.

Antônio Cirilo ainda destacou que os projetos de ‘Doação Simultânea’ estimulam a atividade da Agricultura Familiar. “O agricultor não parou de trabalhar, mas não tem essa alegria que tinha antes dos projetos, porque neles a gente já trabalhava com venda garantida. É totalmente diferente, você já plantou sabendo para onde vai colocar. E outra coisa é você plantar para se aventurar no mercado, o atravessador leva tudo”, desabava o irrigante do perímetro Piauí. “Todas as propostas do ano anterior ainda estão em aguardo de recursos. Vamos insistir em elaborar mais propostas para este ano, conforme liberação do sistema e recursos do Governo Federal. Temos também uma nova associação em nosso perímetro irrigado em Malhador. Os representantes querem nossa ajuda para fazer as propostas deste ano”, completa Sandro Prata.

 

Última atualização: 13 de maio de 2022 19:04.