Coderse realiza ação educativa em alusão ao Dia Mundial da Água no perímetro irrigado estadual em Lagarto

Programa Água Doce, irrigação e Meio Ambiente foram assuntos para palestras educativas para as crianças

Foram até o perímetro Piauí, alunos das escolas municipais de Lagarto, Monsenhor Jason Barbosa Coelho e Brasil / Foto: Fernando Augusto (Ascom Coderse)

Nesta quarta-feira, 20, em comemoração ao Dia Mundial da Água, alunos de instituições de ensino em comunidades abrangidas pelo Perímetro Irrigado Piauí, em Lagarto, no centro-sul sergipano, participaram de palestras e apresentações artísticas relacionadas à temática do meio ambiente. O evento ocorreu no escritório do polo irrigado do Governo do Estado e também proporcionou às crianças o aprendizado sobre o programa ‘Água Doce’.

O perímetro é irrigado por meio da Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse), vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), permitindo o fornecimento de água de irrigação e assistência técnica em sete povoados do município de Lagarto.  

Lá, o Dia da Água já é tradição, o que, segundo o técnico agrícola da Coderse Marcos Emílio Almeida, é um compromisso do órgão com a comunidade. “Precisamos divulgar este dia importante para o planeta., em que a gente traz os alunos de várias escolas e transmite informações que eles às vezes não sabem, sobre desperdício de água. O mundo está se transformando; por conta do aumento de temperatura, todo o planeta está superaquecendo. Com isso, estamos trazendo pessoas que serão adultas no futuro e vão ajudar a preservar este planeta em que vivemos. Se cada um fizesse algo, o mundo já teria melhorado há muito tempo”, ponderou.

Água Doce
Em Sergipe, o Programa Água Doce (PAD) é coordenado pela Seagri e suas vinculadas, a Coderse e a Empresa de Desenvolvimento Agrário de Sergipe (Emdagro). “Através da nossa maquete, explicamos como funcionam as unidades do ‘Água Doce’. São 29 sistemas em nove municípios, produzindo 17.400 litros de água potável por dia, em benefício de cinco mil pessoas desses povoados. Na Coderse, a gente tem feito a recuperação, manutenção, capacitação de operadores e organização das comunidades atendidas pelo ‘Água Doce’”, pontuou o componente de dessalinizador do Núcleo do PAD, Claudinier Rodrigues, durante o evento do Dia da Água em Lagarto.

Professora na Escola Municipal Monsenhor Jason Barbosa Coelho, Brenda Mirely Ribeiro acredita na construção do conhecimento dos seus alunos, com a aproximação com a comunidade. “Momento muito oportuno para eles conhecerem um pouco mais da Coderse, do ambiente. É tanto que eles ficam muito curiosos. Vai ser muito benéfico, porque eles vão poder estar próximos das ações que a empresa desenvolve e desenvolver conhecimento sobre a importância do recurso tão importante da vida, que é a água. Trabalhamos isso constantemente, não só no Dia Mundial da Água, mas diariamente, de forma multidisciplinar”, considerou.

Pedro Miguel é aluno do 3º ano do ensino fundamental do Jason Coelho, e contou que gostou de conhecer a maquete do PAD. “Achei interessante, bem legal. Temos que cuidar da água do mundo. Aprendi que não se pode sujar o mundo, Não pode contaminar, porque as pessoas são importantes”, disse.

Sua colega de turma, Laura de Jesus Amaral, também achou a maquete muito criativa. “Muito legal. Gostei. Eu aprendi que não pode desperdiçar a água, não pode jogar lixo por aí, que o vento leva e vai para os rios”, ensinou.

Além deles, também participaram do evento estudantes da Escola Municipal Brasil.

[galeria de fotos] Retrospectiva da Coderse no Sealba Show 2024

Galeria de fotos faz uma retrospectiva da participação da Coderse, junto da Seagri, Emdagro e Pronese no Sealba Show 2024. Os números prévios de público e movimentação de negócios acima dos R$ 300 milhões nos revelam a força do agronegócio de nossa região.

Parabéns a todos os expositores e investidores que colaboraram para o sucesso deste grandioso evento.

O agro não para de crescer!

Fotos: Ascons Seagri e Coderse

Agricultores aproveitam serviços disponíveis na 19ª edição do ‘Sergipe á aqui’, em Gararu

Secretaria de Agricultura e vinculadas estiverem presentes na ação realizada nesta quinta-feira, 11

Foto Fernando Augusto – Ascom Coderse

O município de Gararu, na região do alto sertão sergipano, recebeu nesta quinta-feira, 11,  a primeira edição do ‘Sergipe é aqui’ de 2024, chegando à 19ª edição. Os serviços disponibilizados pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) e suas vinculadas foram bastante procurados por agricultores que buscavam informações e benefícios.

Marivalda de Jesus Santos Rocha, que mora no povoado Couro Seco, cria animais para sua subsistência e de sua família. Ela foi até a sede do município para ver de perto as ações promovidas pelo Governo do Estado. A agricultora se cadastrou para fazer exames médicos e no estande recebeu uma muda de abacateiro das mãos do secretário da Agricultura, Zeca da Silva, e da primeira-dama e secretária de Assistência Social, Érica Mitidieri. “Foi uma benção receber essas ações do governo em nossa cidade. No meu sítio já tenho manga, goiaba, pinha e mamão, e agora vou ter abacate também, que eu gosto muito”, destacou.  

Atuação da Coderse

A Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse) tem em Gararu sua principal atuação na perfuração, instalação e recuperação de poços, para atender comunidades rurais. Também no município, já fez a recuperação de pequenas e médias barragens para a dessedentação animal. Nos últimos cinco anos, a empresa fez os serviços de limpeza e teste de vazão em poços que beneficiam 100 famílias do campo, instalou um novo poço no assentamento Maria Vitória e recuperou um poço no povoado Lagoa dos Porcos, além de ter atendido cerca de 120 famílias com a manutenção corretiva de outros sistemas de abastecimento.

No ‘Sergipe é aqui’, a Coderse também realiza o atendimento à população que busca por orientações, além de apresentar o trabalho realizado em todo o estado, com o desenvolvimento de recursos hídricos para uso doméstico e irrigação nos perímetros estaduais. Exemplo disso é o Programa Água Doce, que no governo itinerante é exposto por meio de uma maquete que demonstra como funciona uma das 29 unidades de dessalinização de água em Sergipe, sistemas criados e geridos pela parceria dos governos federal e estadual com as comunidades.

Fonte: Notícias do Governo de Sergipe

Água Doce em Sergipe foi prorrogado e projeta crescimento de 80% em área cobertura em 2023

Este ano, Sergipe recebeu o aporte de mais de R$ 6 milhões do programa que viabilizou ações e garantiu mais 23 novas unidades para 2024

Foto: Arthuro Paganini
Foto: Arthuro Paganini

O Programa Água Doce (PAD), que leva água potável às comunidades rurais sergipanas que não contam com sistemas de abastecimentos convencionais, foi ampliado e prorrogado até dezembro de 2024. Em ano promissor para o programa, houve manutenção geral dos sistemas de abastecimento de água dessalinizada, capacitação para os seus operadores, oficina de sustentabilidade ambiental para as mais de 1,2 mil famílias beneficiárias, a contratação de apoio à gestão e a prorrogação do convênio entre os governos Federal e de Sergipe por mais um período de 12 meses. Em 2023, Sergipe recebeu o aporte de mais de R$ 6 milhões do PAD, que viabilizou essas ações e garantiu mais 23 novas unidades para 2024.

Para encerrar o ano, o governador Fábio Mitidieri assinou a ordem de serviço para a construção da 30ª unidade do Programa Água Doce, em Porto da Folha, na última semana. O novo sistema de produção de água dessalinizada, dotada do descarte ecológico da água residual, vai atender a comunidade porto-folhense Bela Aurora. Com ela, foram licitadas e obedecendo o mesmo padrão, os sistemas PAD do povoado Saco do Camisa, em Poço Verde, e do Assentamento Carlos Prestes, em Carira. Os três sistemas vão abastecer com água potável um total de 290 famílias.

O PAD é mantido pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), coordenado em Sergipe pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) e executado pelas suas vinculadas – Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse) e Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) –, com parceria de outras secretarias do Governo do Estado, prefeituras e comunidades, na cogestão das unidades hoje presentes em Canindé de São Francisco, Poço Redondo, Monte Alegre de Sergipe, Porto da Folha, Nossa Senhora da Glória, Carira, Simão Dias, Poço Verde e Tobias Barreto.

O secretário de Estado da Agricultura, Zeca Ramos da Silva, comemora que são mais de R$ 6 milhões destinados ao PAD em 2023. “Estamos dando atenção aos 29 sistemas já implantados, para a população assistida, e conseguimos garantia de recursos junto ao Ministério do Desenvolvimento para instalação de mais 23 unidades novas, acrescentando Gararu, Macambira, Pedra Mole e Pinhão ao grupo de municípios com sistemas de dessalinização. É um ganho importante para as comunidades do seminário sergipano”, pontuou Zeca.

Capacitação, manutenção e sustentabilidade

Diretor-presidente da Coderse, Paulo Sobral contabiliza que foram quatro ações licitadas em que foram investidos pela companhia R$ 385.696,65 em recursos do programa neste ano. “Teve o monitoramento e a manutenção geral nos 29 sistemas de dessalinização. Capacitamos 72 pessoas para a operação. Tivemos as oficinas de sustentabilidade ambiental, com coleta da água para análise e recadastramento das famílias, e ainda o apoio à gestão do Sinconv, com gerenciamento da prestação de contas ao PAD. Mas o Governo do Estado ainda investiu em pessoal, serviços e materiais, equipamentos e recuperamos dez dessas unidades”.

Prorrogação e ampliação

Em 2023, foi iniciada a mobilização para Sergipe receber mais 23 novas unidades dos sistemas. Segundo o diretor de Infraestrutura Hídrica da Coderse, Ernan Sena, a licitação feita via Governo de Sergipe atende três novos sistemas. “Os sistemas de Porto da Folha, que o governador Fábio Mitidieri deu ordem de serviço, e o de Carira e Poço Verde estão iniciando obras. Mas o MDR também já licitou dez dos 20 novos sistemas para o estado”.

Coordenador estadual do PAD em Sergipe, Vandesson Carvalho estabelece que, com base nos bons resultados de 2023 e com o Governo do Estado se empenhando para que nenhuma das 29 unidades deixe de atender as comunidades, houve argumentos para a continuidade da vigência do programa. “O núcleo estadual, por meio da Seagri, da Coderse e da Emdagro, elaborou uma nota técnica com justificativas para prorrogação do PAD em Sergipe por mais 12 meses, que foi aprovada pelo MDR”, comemorou.

Sustentabilidade ambiental

“Mudou muita coisa porque, quando não tinha essa água, era muito ruim para todo mundo. Sem ter onde pegar água para beber. O programa é muito importante para todo mundo, do povoado inteiro”, detalhou a usuária do PAD no povoado Macacos, em Carira, Elza de Jesus. Para ela, a oficina de sustentabilidade ambiental aplicada em todas as comunidades leva boas práticas para o uso da água. “O consumo daqui é só para beber, é bem limpa. Então é muito importante para todo mundo que guardem a água no lugar limpo, nos vasos limpos. Pegar com as vasilhas sujas, não dá né?”, completou.

Programa disponibiliza água de qualidade para cinco mil sergipanos em povoados no estado

Em Sergipe, 29 comunidades, em nove municípios, são beneficiadas pelo Programa Água Doce e a expectativa é que mais 23 sistemas sejam instalados neste e no próximo ano

Foto: Arthuro Paganini

Cerca de cinco mil pessoas são beneficiadas com a produção de 17.400 litros/dia de água do Programa Água Doce (PAD) em Sergipe. No Assentamento Carlos Lamarca, no município de Simão Dias, região centro sul do estado, o sistema de dessalinização mantido pelo Governo de Sergipe atende a aproximadamente 120 pessoas de 31 famílias, proporcionando o acesso, por mês, a 24.800 litros de água potável àquela comunidade. Cada família pode pegar até 40 litros de água dessalinizada por dia em cinco dias da semana, o que equivale a 200 litros por semana ou 800 litros disponibilizados mensalmente.

Na casa da família de Edvaldo de Jesus, a água disponibilizada pelo programa é consumida por ele, sua esposa e seus seis filhos. “Pego água aqui duas vezes ao dia, nós usamos para beber e cozinhar. Tenho água encanada, mas sai salgada e a daqui é doce, que a gente usa para beber e cozinhar”, conta. Para o agricultor, a água representa também mais saúde para sua família. “A gente usava água da cisterna, da chuva”, afirma Edvaldo.

O Programa Água Doce visa o estabelecimento de uma política pública permanente de acesso à água de boa qualidade para o consumo humano, incorporando cuidados técnicos, ambientais e sociais na recuperação, implantação e gestão de sistemas de dessalinização, prioritariamente em comunidades rurais do semiárido. Em Sergipe, 29 comunidades são beneficiadas em nove municípios: Canindé de São Francisco, Poço Redondo, Monte Alegre de Sergipe, Porto da Folha, Nossa Senhora da Glória, Carira, Simão Dias, Poço Verde e Tobias Barreto.

“O programa traz uma nova perspectiva nessas comunidades, diminui custos e oferece autonomia a essas pessoas. A gente já instalou 29 sistemas e a expectativa, agora, é de instalar mais 23 sistemas neste e no próximo ano. Destes, três, inclusive, a gente já licitou aqui pela Coderse e os demais, via recurso federal, estamos finalizando o processo licitatório para iniciar os dez primeiros neste ano para concluir no próximo”, informa o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse), Paulo Sobral.

O gestor explica que, devido à formação geológica do semiárido, a água produzida, em sua maioria, é salina, por isso a atuação do programa é essencial para qualidade de vida dos moradores dessas localidades. “O programa, basicamente, busca potabilizar essa água salina, a partir da perfuração do poço, adução, bombeamento, reserva e dessalinização por osmose reversa. Essa perspectiva é fundamental para levar água para a comunidade onde a água é, de fato, salina”, esclarece Paulo Sobral.

Segundo o coordenador estadual do Programa Água Doce, Vanderson Carvalho, o processo elimina 90% das impurezas da água. “Depois que a água bruta entra no sistema de dessalinização, não passa nada pela membrana, nem vírus, nem bactérias, apenas 1% dos sais. Temos todo um cuidado. Recentemente fizemos a análise da água bruta e da água doce e esse acompanhamento garante a qualidade da água”, destaca.

Um dos fundadores do assentamento, José Hamilton de Araújo confirma a qualidade do recurso disponibilizado para a comunidade. “É uma água muito boa, livre de bactérias, das coisas que a gente não vê a olho nu. No meu caso, uso só para beber, pois para cozinhar utilizo a da cisterna, já que passa por fervura. Levo essa água para toda a minha família beber”, revela.

Água Doce
O PAD é uma ação do Governo Federal, sediada no Ministério do Meio Ambiente, que em Sergipe é coordenada pela Secretaria de Estado da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri). Para a execução do programa, a Seagri firmou termo de cooperação técnica com a Coderse, que, ainda, presta assistência técnica ao Água Doce no Estado. A Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) também é parceira da iniciativa e atua na capacitação da comunidade para o uso da água. O programa conta, ainda, com o apoio da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), Defesa Civil estadual, Defesa Civil dos municípios e moradores dos municípios das regiões beneficiadas. Somente neste ano, o Governo de Sergipe investiu mais de R$ 380 mil para o PAD, na manutenção e monitoramento; apoio à gestão; capacitação de operadores e sustentabilidade ambiental.

De acordo com o coordenador estadual do PAD, o programa tem uma metodologia que vai além da obra de implantação dos sistemas de dessalinização. “São aplicados alguns componentes, que são a dessalinização; a mobilização – a partir de reuniões e acordos de gestão com a comunidade; e a sustentabilidade ambiental, a exemplo, do cadastramento das famílias, levantamento socioambiental por comunidade e oficinas de sustentabilidade ambiental, que são práticas que mostram desde a coleta, transporte até o armazenamento da água dessalinizada, pois depois do tratamento, a população tem uma água isenta de contaminantes, mas se a coleta é feita com um vaso contaminado não adianta”, pontua Vanderson Carvalho.

Maria Virgínia Santos é uma das moradoras capacitadas para operar o sistema no Carlos Lamarca e relata que a reativação do dessalinizador na comunidade só trouxe benefícios ao seu cotidiano. “É maravilhosa, foi uma benção essa água para nós. Antes, a gente usava a água da cisterna, quando Deus mandava a benção de encher. Mas já aconteceu de vir caminhando de Simão Dias para trazer água ou ter que vir caminhão-pipa”. No lado externo ao sistema, a água captada também é ofertada à população em sua forma bruta. “Eu uso a água bruta daqui bastante também, para os animais que crio”, completa a agricultora.

Governo de Sergipe oferece oficinas de capacitação a operadores e usuários do Programa Água Doce

Coderse disponibiliza pessoal e infraestrutura de poços, atuando em todas as etapas do programa coordenado pela Seagri no estado
Oficina reuniu moradores do povoado Ponta da Serra – Foto: Fernando Augusto – Ascom/Coderse

A programação de oficinas de sustentabilidade ambiental com o objetivo de atender todos os usuários das unidades de produção de água dessalinizada do Programa Água Doce (PAD) foi concluída em Sergipe. Desde o início do ano, as atividades envolveram boas práticas na conservação da água dos sistemas de abastecimento, avaliação dos resultados do PAD e análise da água; capacitação de operadores e manutenção geral, também com intervenções pontuais dos técnicos da Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse), para a recuperação dos equipamentos.

Conforme observou o coordenador estadual do PAD, Vandesson Carvalho, as oficinas foram feitas em todas as comunidades assistidas pelo programa. “Iniciamos com coleta e análise físico-química e bacteriológica da água, além do cadastramento das famílias, para sabermos os impactos ao longo dos anos e o levantamento socioambiental por comunidade, seguida das oficinas de sustentabilidade ambiental, a fim de definir o uso correto da água dessalinizada, da coleta até o armazenamento”, informou.

Vandesson Carvalho acrescenta que o Governo do Estado se difere na forma de executar o Água Doce. “Sabemos que o PAD existe em 10 estados, e Sergipe tem um diferencial que é essa manutenção preventiva e corretiva, por meio da Coderse, além da empresa atuar com a sustentabilidade ambiental”, ressaltou o coordenador do programa.

O Água Doce é um programa federal com 29 unidades em comunidades rurais dos municípios de Carira, Canindé de São Francisco, Monte Alegre de Sergipe, Nossa Senhora da Glória, Poço Verde, Poço Redondo, Porto da Folha, Simão Dias e Tobias Barreto. Em Sergipe, o PAD é coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), com suas vinculadas, Coderse e Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), como executoras.

O diretor de Infraestrutura Hídrica e Mecanização Agrícola da Coderse, Ernan Sena, explicou que o acompanhamento da Coderse ao PAD é constante, disponibilizando pessoal, veículos, departamentos e máquinas da empresa para manter e ampliar a atuação do programa no estado.

“Foram realizadas as oficinas de sustentabilidade ambiental; a semana de capacitações, que já demos continuidade, realizando treinamentos para novas turmas individuais nos povoados; e a manutenção geral. Esse trabalho é contínuo, como o da equipe da Gerência de Perfuração, fazendo o bombeamento do poço da unidade do PAD no povoado Lagoa do Roçado, em Monte Alegre de Sergipe, em meados de agosto, a fim de melhorar vazão e qualidade da água”, apontou Ernan Sena.

Poço Verde
Gilvaneide de Souza, presidente da associação de moradores do Povoado Recanto, é usuária da água produzida na unidade do PAD no povoado Recanto, em Poço Verde, município onde ocorreram as últimas oficinas de sustentabilidade ambiental. Para ela, a ação incentiva a utilização do sistema, com as famílias atentas em levarem vasilhames limpos para coletar a água dessalinizada.

“A gente sempre está tendo acompanhamento. Quando a gente fala com Vandesson, ele atende o mais rápido possível e para mim tá bom mesmo e a gente pede a Deus que continue. Quando apareceu, há oito anos, a gente usava a água do caminhão-pipa. Foi muito importante mesmo e é tanto que a maioria das famílias pega água aqui”, observou Gilvaneide de Souza.

O operador e usuário do sistema do PAD no povoado Ponta da Serra, também em Poço Verde, Miguel Félix, acredita que as oficinas de sustentabilidade ajudam na mobilização da comunidade e na manutenção do sistema. “Quem quiser pegar água eu estou lá para resolver o problema de todo mundo. Fico feliz de quem vem pegar, porque é uma água saudável. Se ocorrer algum probleminha aqui, eu mesmo consigo resolver, e quando ocorre algo maior sei que podemos contar com a assistência do programa, que a equipe vai chegar junto, eles sempre chegam.”, concluiu Miguel Felix.

Produtores rurais de Capela aprovam ações da Agricultura durante 10ª edição do ‘Sergipe é aqui’

 Coderse apresentou demandas por perfuração, instalação ou manutenção de poços comunitários e apresentou o ‘Água Doce’, programa coordenado pela Seagri e executado por suas vinculadas.
Equipe da Coderse – Foto Fernando Augusto

Ações ofertadas pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e Pesca (Seagri) e suas vinculadas – Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) e Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse) – estiveram entre os 150 serviços prestados durante a realização da 10ª edição do programa de Governo Itinerante ‘Sergipe é aqui’, nesta quinta-feira, 24, em Capela, no leste sergipano.

O secretário acrescentou que a participação da Seagri nas ações de Governo Itinerante possibilita a aproximação entre a pasta e seu público-alvo, os agricultores. “Principalmente os agricultores familiares, que são atendidos nos escritórios regionais da Emdagro, por meio dos nossos grupos de trabalho e dos nossos técnicos, que fazem esse contato mais direto, prestando assistência técnica a quem precisar. Voltamos a Capela, onde já fizemos uma grande distribuição de sementes de milho, e hoje estamos com outras secretarias e órgãos estaduais, mostrando seus produtos, prestando serviços. Esse contato direto é muito importante para tirar dúvidas e esclarecer sobre os programas realizados pelo governo”, destacou Zeca da Silva.

Assim como nas edições anteriores, em Capela também foram distribuídas mudas de árvores frutíferas aos agricultores que visitaram o estande da Seagri. Esse foi o caso da merendeira Adriana Andrade Silva, que esperou pacientemente para levar para casa uma muda de amora. “Agora volto pra casa satisfeita, pois recebi essa planta da fruta que gosto muito”, contou.

Também foram entregues 30 amostras de solo, coletadas na comunidade Pirangi na semana que antecedeu o evento, que serão enviadas para análise técnica nos laboratórios do Instituto Tecnológico e de Pesquisas de Sergipe (ITPS).

Água Doce
Quem esteve no ‘Sergipe é aqui’ de Capela com demandas por perfuração, instalação ou manutenção de poços comunitários também pôde contar com o atendimento da Coderse. A Companhia apresentou a maquete detalhada do ‘Água Doce’, programa por meio do qual a Seagri e suas vinculadas mantêm o funcionamento de 29 unidades de potabilização de água salina na região de seminário do estado.

Na mesma semana em que a Coderse apresentou o ‘Água Doce’ à população, na 10ª edição do ‘Sergipe é aqui’, foram realizadas dez oficinas de sustentabilidade ambiental em povoados dos municípios de Poço Verde e Tobias Barreto. As comunidades beneficiadas pelos sistema de abastecimento de água com dessalinizador passaram por levantamento socioambiental e receberam, durante as oficinas, instruções sobre como manusear a água coletada nos sistemas de dessalinização sem oferecer riscos à saúde de quem a consome.

Fonte: Agência Sergipe de Notícias

Governo do Estado restabelece abastecimento de água dessalinizada em comunidades de Glória e Carira

Unidades do PAD fornecem água potável à população, escola, posto de saúde e água bruta para uso doméstico e dessedentação animal

Manutenção nos dessalinizadores restabeleceu o fornecimento de água nas comunidades de Carira e Glória [Foto: Núcleo do Programa Água Doce]

A intervenção técnica nas unidades de produção de água dessalinizada no povoado Lagoa dos Porcos, em Carira, e no Assentamento Fortaleza, em Nossa Senhora da Glória, feita pela Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse), foi concluída na última quarta-feira, 12. A ação restabeleceu o abastecimento de água potável às comunidades, onde 170 famílias vivem e dependem dos sistemas de dessalinização do Programa Água Doce (PAD).

A manutenção dos sistemas, que pararam de funcionar na última semana, foi realizada pela Coderse. A empresa pública é vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) que, com suas subsidiárias, coordena e executa o programa no Estado. Em todo o estado, existem 29 unidades de dessalinização. Em maio, a Coderse realizou uma manutenção geral corrigindo falhas nos equipamentos que pudessem interromper o fornecimento de água para as comunidades. 

Segundo o coordenador estadual do Núcleo do PAD, Vandesson Carvalho, foram consertados os componentes que fazem parte do dessalinizador e feito o reparo na tubulação de alta pressão, na unidade de Carira. “Os dessalinizadores pararam na semana passada, mas já voltaram a funcionar. Isso mostra a rapidez e preocupação que o Governo do Estado, a Seagri e Coderse têm com o abastecimento dessas comunidades que tanto necessitam de água potável”, esclareceu Carvalho. 

Para Vanderson, essa preocupação vai além do funcionamento das unidades, ao promoverem oficinas e capacitação para toda a comunidade. “A partir do dia 24 deste mês, daremos continuidade às oficinas de sustentabilidade ambiental nos locais atendidos pelo PAD. E sempre que somos requisitados, fazemos novas capacitações de operadores”, completa. 

O operador e usuário do sistema de dessalinização no Assentamento Fortaleza, Miguel ‘do Flamengo’, conta que naquela comunidade, 90 famílias dependem do equipamento público para ter acesso à água potável. Segundo ele, a equipe do PAD visitou o local duas semanas antes de solicitarem a manutenção corretiva do dessalinizador. Durante a visita, os moradores receberam treinamento para operar o sistema de forma correta. “Na hora que a gente precisa, eles vêm.  Essa água é uma coisa muito importante para nós, porque todo mundo que usa ela, gosta demais e diz que não quer mais de outra água a não ser essa”, declarou Miguel. 

Equipes multidisciplinares
De acordo com o diretor de Infraestrutura Hídrica da Coderse, Ernan Sena, desde que a Seagri passou a coordenar o Água Doce, a empresa tem disponibilizado setores e equipes multidisciplinares para atender às demandas do programa.  A água chega até a população através de chafarizes, depois de passar por um complexo equipamento de dessalinização. Ela precisa ser bombeada de poços salinos, passar por reservatórios, para em seguida ser potabilizada, armazenada e distribuída.  

Todo esse processo requer um trabalho em equipe. “Além do pessoal técnico da Coderse, que compõe o núcleo do PAD e faz a manutenção direta do dessalinizador, temos o pessoal que lida diretamente com o poço, com a sua limpeza subterrânea e toda a estrutura de tubos, registros, conexões e reservatórios. Na retaguarda, os setores de Compras e de Licitação são necessários para a continuidade do programa”, explicou Sena. 

Carira
No povoado Lagoa Dos Porcos, em Carira, as 80 famílias atendidas pelo sistema de dessalinização relataram a falta de abastecimento na semana passada. Segundo Genivaldo Martins, professor de História na escola da comunidade, e operador do sistema, o procedimento realizado voltou a abastecer o seu povoado. “A equipe veio rápido e fizeram o serviço com perfeição”. 

O sistema que abastece toda a comunidade – da escola ao posto de saúde -, é de extrema importância para a região. “É uma água boa de qualidade que vem dando certo e não podemos ficar sem. Agradeço aos técnicos e a todos que fazem o Programa Água Doce”, disse Martins.

[vídeo] Programa Água Doce foi destaque no Sergipe Rural

O Programa Água Doce (PAD) foi tema de reportagem no último programa Sergipe Rural, da  Aperipê TV. Parceria entre o Governo Federal, através do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), e o Governo do Estado de Sergipe, representado pela Secretaria de Estado da Agricultura, Des. Agrário e da Pesca de Sergipe (Seagri), que gerencia o PAD no estado.

A Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse), empresa vinculada à Seagri, atua na manutenção técnica das 29 unidades de produção de água dessalinizada de Sergipe. Em entrevista, o diretor de Infraestrutura Hídrica, Ernan Sena, explicou o trabalho da empresa no PAD que, junto de outros entes públicos e as próprias comunidades beneficiadas, mantém em funcionamento esse importante benefício que fornece água potável para mais de cinco mil sergipanos.

Governo do Estado inicia manutenção geral das unidades do Programa Água Doce em Sergipe

Programa permite que famílias tenham acesso à água potável
[foto: Fernando Augusto – Ascom/Coderse]

Todas as 29 unidades de produção de água dessalinizada do Programa Água Doce (PAD) em Sergipe vão passar por uma completa manutenção nos equipamentos que tornam a água salobra, bombeada de poços tubulares, em água potável própria para o consumo humano. 

Segundo o secretário de estado da Agricultura, Zeca Ramos da Silva, a intenção do Governo do Estado é deixar todos os sistemas de abastecimento em pleno funcionamento, para atender as mais de cinco mil pessoas que dependem desta água para continuar suas vidas em casa e o trabalho no campo. “Estes dessalinizadores são instalados em comunidades distantes das redes de abastecimento convencional. Eles precisam de uma ampla manutenção que agora está sendo feita pela Coderse”, acrescentou o secretário.

A qualidade de vida, fornecendo água limpa e saudável à população rural atendida, é um dos requisitos do PAD. Programa federal mantido pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e gerido, em Sergipe, pela Secretaria de Estado da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) com auxílio da Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse) e a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário (Emdagro).

O presidente da Coderse, Paulo Sobral, explica sobre as etapas da manutenção do funcionamento das unidades. Segundo ele, o trabalho de manutenção está começando por Canindé de São Francisco e Poço Redondo, dois dos municípios mais áridos do Estado.

“Todo equipamento está sendo revisado, desde o poço até o dessalinizador; incluindo os componentes elétricos e bombas que movem a água do poço para reservatórios, filtragem e abastecimento da água potável, para a população. Parte da água salinizada vai para uso da dessedentação animal”, informou.

O assentamento Mandacaru, em Canindé, foi a primeira comunidade atendida pelos técnicos enviados pela Coderse para realizar manutenção geral, que reativou a unidade de dessalinização. Ione França, uma das moradoras do assentamento Mandacaru, falou sobre o impacto do programa. “Com essa manutenção, foi maravilhoso, porque estava fazendo muita falta a água, sabemos que é uma água de boa qualidade então precisava muito disso. A comunidade inteira consome essa água, ao todo são 54 famílias. Usamos para tudo. Pela qualidade da água, que é muito boa, traz saúde para quem consome”, avaliou a trabalhadora autônoma.

Orlando Ferreira é um pequeno pecuarista no assentamento 12 de Março, no município de Canindé, e que atua como operador da unidade do PAD daquela comunidade. Segundo ele, os moradores não têm condições financeiras para cuidar da manutenção do sistema de dessalinização. No povoado, os custos operacionais são pagos por uma contribuição mensal de cada uma das famílias. “Essa água é muito útil para mim e para a população, e o povo se acostumou a beber dessa água. Entra governo, sai governo e tem que ter essa assistência, se não, não tem água doce para beber, aí nós vamos andar para trás, consumir a água que nós consumimos antes. Que chegava através do caminhão pipa”, recordou.

Capacitação, gestão e projetos 
O diretor de Infraestrutura e Mecanização Agrícola da Coderse, Ernan Sena, ressalta que a Coderse, em parceria com a Emdagro, está organizando capacitações técnicas para instruir três moradores de cada uma das 29 localidades atendidas. “Estamos preparando os atuais e os operadores de sistema e substitutos. Para que as comunidades não fiquem sem pessoas capacitadas para manter o correto funcionamento do dessalinizador. Paralelo a isso, estamos reforçando o pessoal técnico para a gestão e prestação de contas do PAD; e para elaborar projetos de sustentabilidade ambiental do programa. Em conformidade com as regras do Governo Federal”, destacou.

“Nós temos água boa aqui, que é praticamente uma ‘água mineral’. É para beber, para todos os moradores, mas às vezes tem alguém de fora e que precisa, vem e pega uma água aqui também”, contou José dos Santos, morador do povoado Caiçara, em Canindé. Para ele, é muito importante a manutenção, que recém passou na comunidade, e a abertura de cursos de capacitação para novos operadores. “Isso é muito bom, porque ter água doce dentro de casa para beber, para cozinhar alguma coisa para comer, é bom”, concluiu.

Última atualização: 27 de maio de 2023 16:09.