Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe leva mais qualidade de vida e infraestrutura ao campo

Coderse surge para desenvolver novas políticas públicas que atendam outras necessidades do meio rural, além da carência hídrica [foto: Fernando Augusto]
Ao se transformar em Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse), a antiga Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação (Cohidro) ganhou status de atuação em todos os 75 municípios, abrindo diálogo e mecanismos para captação de recursos das esferas municipal, estadual, federal e até internacional, a fim de desenvolver novas políticas públicas que atendam outras necessidades do meio rural, além da carência hídrica que a Cohidro já supria.

A mudança também favorece o diálogo com os poderes Executivo e Legislativo, de onde recursos originários de fundos, programas e emendas parlamentares possam dar o empuxo necessário à promoção de meios de geração de emprego, renda, produção de alimentos e qualidade de vida para a mulher e o homem do campo.

Antes, enquanto Cohidro, a companhia estava restrita a administrar os seus seis perímetros irrigados, limitados a setores de sete municípios; cuidar e fiscalizar os contratos de concessão do Platô de Neópolis (que também abrange Japoatã) e da Central de Abastecimento (Ceasa) de Aracaju; e a perfurar, instalar e recuperar poços, barragens e cisternas.

Segundo o diretor-presidente da Coderse, Paulo Sobral, serão ampliados os serviços que a antiga Cohidro fazia, mas outras ações de infraestrutura, aquisição de equipamentos e saneamento rural farão parte do leque de atuação da nova companhia. Para tanto, o diretor informa que vários processos licitatórios estão em andamento acelerado.

“A Coderse chegou, e chegou de verdade. Terão comunidades rurais em que a gente vai poder trabalhar a parte de calçamento, de esgotamento, e também adquirir máquinas e implementos para fortalecer a cadeia produtiva das localidades, melhorando a infraestrutura e gerando qualidade de vida, com mais saúde e renda para quem vive no campo”, destacou Paulo Sobral, ao observar que a Coderse vai fazer essa ação direta e concreta com os municípios, em parceria com as comunidades e associações rurais.

Para ele, com a Coderse, um ciclo de ações governamentais será promovido para elevar os níveis de desenvolvimento humano no meio rural, refletindo no ambiente urbano. “Isso é a base. Se você produz água, se você produz qualidade de vida para o homem do campo, automaticamente você dá condições para que ele produza comida. Você está fechando um ciclo de extrema importância para o estado”, complementou o presidente da companhia estadual.

Captação de recursos

A maior parte das novas políticas públicas encabeçadas pela Coderse, em vista de promover qualidade de vida à população rural, partirá da Diretoria de Infraestrutura Hídrica e Mecanização Agrícola. O diretor Ernan Sena considera importante a mudança, para favorecer a captação de recursos e promover serviços e obras. “Sabemos que um dos limitadores da Cohidro era a falta de recursos. Com a mudança no estatuto para Coderse, teremos uma melhor condição de captação financeira, viabilizando a exploração do grande potencial que essa empresa tem e cumprindo a sua função social. A expectativa é muito boa, vamos trabalhar duro para conseguir aumentar o número de realizações da empresa”, avisou Ernan Sena.

Reestruturação

Diretor de Irrigação de Desenvolvimento Agrícola da Coderse, Júlio Leite destaca que com a companhia maior e mais aberta à captação de recursos do que era a Cohidro o seu setor poderá melhorar os serviços oferecidos nos seis perímetros irrigados, e até ampliar a sua atuação.

“A intenção é recuperar mais da infraestrutura dos perímetros, construída em meados dos anos 80, ao mesmo tempo em que queremos ampliar essa atuação para mais localidades rurais. A irrigação é, sem dúvida, essencial à atividade agrícola e também à pecuária, na maior parte do nosso estado, em regiões onde a chuva é bastante irregular, quando não é escassa”, pontuou Júlio Leite.

Recursos humanos 

O diretor Administrativo e Financeiro (Diraf) da Coderse, Thomas Jefferson da Costa, falou da expectativa de crescimento das ações da empresa. “Sinto-me feliz e honrado por fazer parte deste momento tão importante da instituição. Eu conheço o trabalho da Cohidro há muito tempo e, apesar do pouco tempo no cargo, posso dizer que agora como Coderse ela reúne todos os elementos para dar um grande salto nos próximos anos”.

Será na Diraf que muitas das novas funções da Coderse irão tomar forma, nos setores de recursos humanos, licitações e financeiro. “Além do quadro de profissionais competentes, temos todo o respaldo do nosso secretário de Estado da Agricultura, Zeca da Silva, e do nosso governador Fábio Mitidieri”, completou Thomas Jefferson da Costa.

Última atualização: 10 de março de 2023 14:16.