Cohidro garante água para o Laderinhas B em Japoatã

Poço instalado e fornecendo água

Em Japoatã, município sergipano do Baixo São Francisco, o assentamento Ladeirinhas B tem no poço perfurado 1998, pela Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro), a única fonte de fornecimento de água potável às 150 famílias residentes. Desde o ano passado, a partir da requisição da Prefeitura, a Empresa Pública vem fazendo intervenções a fim de solucionar diversos problemas técnicos apresentados pelo sistema. Na última quinta-feira, 26, acaba de ser instalada uma nova bomba, mais potente e capaz de atender a crescente demanda populacional da localidade.

A demanda por água na localidade, que beira hoje os 750 habitantes, exigia do equipamento o uso contínuo, 24 horas por dia, como explicou o chefe da Divisão de Instalação e Manutenção de Poços (Dipoços) da Cohidro, Roberto Wagner. “Isso forçou a bomba de 3 HPs, instalada após a última reforma feita, ao ponto dela quebrar seu eixo em dezembro passado. Agora foi posto para funcionar uma nova, com 8 HP de potência e com novo quadro elétrico. Também foi instalado novo disjuntor de 60 ampéres e nova fiação, itens patrocinados pela Prefeitura de Japoatã”, acrescentou.

Diretor de Infraestrutura da Companhia, Paulo Henrique Sobral esclarece a função da última intervenção feita pela Companhia no Ladeirinhas B. “O objetivo agora é propiciar o fornecimento de água para toda comunidade, uma vez que ocorreu um aumento na população e isso aumentou a demanda. Com a nova bomba, atenderemos com melhor quantidade no fornecimento de água, fazendo com o tempo de trabalho do equipamento seja reduzido em menos da metade, o que vai contribuir com a conservação, aumentando sua vida útil”, disse, informando que a Cohidro arcou com os custos do serviço de instalação e o valor da bomba (R$ 4,5 mil) a partir de recursos próprios.

Eletricidade
Paulo Sobral acrescenta que além da troca do equipamento, também foi necessário se antever quanto à potência elétrica que o poço passaria a demandar. “A partir da solicitação feita por representantes da comunidade, a Empresa Energisa fez uma revisão no transformador que atende o sistema de abastecimento, o que proporcionou uma regularização da voltagem para o fornecimento ao equipamento, eliminando o risco de queda de tensão que venha ocorrer com a nova bomba, mais potente do que a anterior”, completou.

O agricultor Amilton Ramos Santos foi um dos que participou do grupo de moradores que esteve na capital, Aracaju, solicitar o atendimento da Cohidro e da Energisa. Ele considera insubstituível o fornecimento feito pelo sistema de abastecimento. “Ficamos dependendo do caminhão pipa pago pela prefeitura durante um mês e 15 dias para levar água nas casas. Todos dependem dessa água: as famílias, escola, posto de saúde e até agora estava tudo parado pela falta d’água”, contou ele, sobre o poço de 177 metros de profundidade, o único que atende o Ladeirinhas B.

Mardoqueu Bodado, presidente da Cohidro, reitera a responsabilidade da Empresa que ultrapassa a ação de perfurar os poços. “É dever nosso também ir até os poços já perfurados, até em casos em que foram perfurados por terceiros, para dar a atenção necessária, solucionar os problemas e fazer voltar a fornecer água, quando é igual a este caso: um sistema de abastecimento que atenda uma comunidade rural. A Companhia sempre tomou para si esta missão em seus 32 anos, de levar e manter o fornecimento de água àqueles lugares onde as redes de distribuição urbanas não podem chegar”, concluiu.

Nova bomba
Há 2 anos trabalhando como operador de bomba no poço do Ladeirinhas B, Valdemiro Ramos, explica como funciona o sistema de abastecimento que leva água para as casas da Povoação. “Tem um registro para cada rua, cada dia liga para uma das ruas. Com a bomba antiga, não tinha como atender a todos em um dia vez só, dia sim dia não chegava água nas casas, só enchia uma vez as duas caixas, uma de 50 mil litros e outra de 25 mil. Agora pode ser que abasteça todos em um só dia e a noite poder parar a bomba”, relatou o funcionário da Prefeitura.

O diretor comercial da Fábrica de Bombas Rio Preto, Jeferson Ferro, participou da instalação da nova bomba – fabricada por sua Empresa – no Ladeirinhas B, afim de conhecer de perto quais as necessidades da sua cliente. “A Empresa forneceu um lote de equipamentos e veio fazer uma visita técnica, para conhecer a nova parceira que é a Cohidro. Instalamos aqui um bomba de 8 HP, com capacidade para 12 metros cúbicos por hora, com rotores de aço inoxidável, lubrificado e refrigerado à água. Tecnologia 100% nacional, pois de 1988 a empresa desenvolve os projetos de seus equipamentos e executa a fabricação”, listou o representante da Indústria de São José do Rio Preto-SP.

“A Cohidro, preservando a qualidade de seus serviços, objetivando beneficiar cada vez mais as comunidades atendidas pelos poços por nós perfurados e instalados, preza também pela qualidade dos seus fornecedores de equipamentos, por isso fez o convite à Fábrica para vir à Sergipe”, finalizou o gerente da Cohidro, Roberto Wagner, sobre o equipamento instalado aos 92 metros de profundidade do poço do Ladeirinhas B, que terá capacidade de bombeamento de 8,5 mil litros por hora, contra os sete mil do aparelho anterior.

 

Última atualização: 18 de dezembro de 2017 12:00.